contato@sindesep.org.br(83) 3221-5350

Doses da vacina de Oxford começam a ser distribuídas para cidades da Paraíba

Grupo que irá receber novas doses são profissionais de saúde que atuam na linha de frente da Covid-19 e que ainda não se vacinaram com a CoronaVac.

25/01/2021 09h13 432

Foto: SES-PB/Divulgação

As doses da vacina fabricada pela Oxford/AstraZeneca começaram a ser distribuídas na manhã desta segunda-feira (25) para as gerências regionais de saúde da Paraíba. Um total de 36 mil doses chegaram à Paraíba na manhã deste domingo (24) em um voo que veio de Brasília. As vacinas seguem para outras cidades da Paraíba por via terrestre e aérea.

A carga das doses enviada para o estado tem peso estimado de 240 quilos. Ao todo, o Brasil recebeu 1.999.960 doses da vacina inglesa.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), todas as gerências de saúde vão receber as doses nesta segunda-feira (25) de manhã e já podem iniciar a vacinação imediatamente. O lote da vacina de Oxford vai dar continuidade à vacinação dos profissionais de saúde da Paraíba que estão atuando na linha de frente de combate à Covid-19.

O secretário de saúde Geraldo Medeiros explica que esse contingente é composto por profissionais que atuam em enfermarias e UTI Covid-19, nas UPAs que atendem pacientes com novo coronavírus, Samu e profissionais que atuam em qualquer área que estejam submetidos a qualquer carga viral.

Os idosos com mais de 60 anos que estão institucionalizados, as pessoas com deficiência também em instituições e os indígenas já foram contemplados com a primeira remessa da CoronaVac enviada à Paraíba.

Ainda conforme informações da SES, apenas a primeira dose da vacina da Oxford chegou neste domingo. A segunda dose será garantida com as próximas entregas. O intervalo na aplicação entre as duas doses é de 12 semanas.

A nova remessa é da vacina desenvolvida em parceria entre a universidade de Oxford, no Reino Unido, e a farmacêutica AstraZenea. A vacina desenvolvida em Oxford que chegou ao Brasil foi fabricada na Índia, mas a Fiocruz deve passar a produzi-la no país.

Fonte: G1

25/01/2021 09h13 432